Escadaria Selarón

É um dos pontos turísticos mais importantes e visitados do Rio de Janeiro. Localizada no fantástico e famoso bairro boêmio da Lapa, tem um acesso fácil e definitivamente é um local que todo mundo deve visitar na Cidade Maravilhosa.

Fica em um lance de escadas que liga as ruas Joaquim Silva e Pinto Martins, nos bairros da Lapa e Santa Tereza. O nome oficial é Rua Manuel Carneiro, mas o local é popularmente conhecido como Escadaria Selarón, em homenagem ao pintor chileno Jorge Selarón.

1. O artista:

Um chileno nascido em 1947, viajante do mundo, pintor e artista de cerâmica. Ele viajou o mundo inteiro e visitou mais do que 50 países nas Américas, Europa e Ásia. Quando ele chegou no Rio de Janeiro em 1983 ele se apaixonou pela cidade e decidiu ficar. O local que ele escolheu pra viver ficava no topo de uma escadaria, que conecta dois bairros do Rio, Lapa e Santa Teresa. Para pagar as suas contas aqui no Brasil, Selarón vendia suas pinturas.

2. A escada:

Quando o Selarón se mudou para sua casa, ele percebeu que a escadaria estava em condições péssimas. Ninguém cuidava dela. Em 1990 ele começou a renovar alguns dos degraus da sua casa. No início ele adicionou azulejos azul, amarelo e verde (cores da nossa bandeira). Isso se tornou um tributo para os brasileiros e para o time brasileiro de futebol da Copa do Mundo da Fifa, em 1994. O projeto começou como um hobbie, mas pouco a pouco, Selarón tornou-se viciado para continuar o projeto. Todas as vezes que ele ficava sem dinheiro para comprar mais azulejos, ele venderia mais pinturas.

Segundo relatos, no início os vizinhos zombavam das combinações de cores fortes e, o que era pra ser um passatempo, se tornou a principal atividade do artista.

Ele passou a vender suas pinturas para financiar a revitalização do local e, depois de anos de trabalho exaustivo, cobrindo toda a escada de 125 metros de comprimento e 250 degraus com mais de 2.000 azulejos coloridos, a Escadaria Selarón virou um sucesso, tornando-se um dos mais belos cartões postais da cidade do Rio de Janeiro.

3. Azulejos:

No início, os azulejos eram retirados de canteiros de obras e montes de resíduos urbanos que Jorge encontrava nas ruas do Rio de Janeiro, mas também existem azulejos doados por visitantes de todo o mundo. Atualmente, existem peças de mais 60 países embelezando o local. Outro fato marcante é que cerca de 300 peças foram pintadas à mão pelo artista, retratando uma mulher africana grávida. Ele não falava sobre o assunto, apenas afirmava ser um problema pessoal do seu passado.

Quando você visitar o local, você perceberá que além do azul, amarelo e verde, também a cor vermelha é muito presente nos dois lados da Escadaria Selarón. O projeto começou com azulejos vermelhos após terminar os degraus em 200. Vermelho era sua cor favorita e também uma das cores principais da bandeira chilena.

4. Manutenção:

Mesmo depois de finalizada, o artista trocava os azulejos da Escadaria Selarón constantemente, afirmando que era uma peça de arte em constante evolução. Ele dizia que sua obra nunca estaria completa e sempre afirmava: “Este sonho louco e único só vai acabar no dia da minha morte”.

5. Reconhecimento:

Em maio de 2005, a Escadaria Selarón foi tombada pela Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Selarón recebeu o título de cidadão honorário do RJ. Além da escadaria, existem outras peças de mosaico do artista espalhadas pelos Arcos da Lapa.

Infelizmente o artista faleceu em 2012.

Visite a escadaria Selarón em nosso passeio City Tour!