Arraial do cabo e suas curiosidades

Arraial do Cabo reúne algumas das mais belas características do litoral brasileiro, com lagoas e praias de mar cristalino, dunas de areia branca, e vegetação de restinga, além de costões que funcionam como mirante para apreciar tudo isso.

Conhecida como “Capital do Mergulho, Paraíso do Atlântico e o Caribe Fluminense”, venha conhecer a história desse lugar.

1. Geografia e primeiros moradores:

Há cerca de um milhão de anos, os ventos, as correntes marítimas e as marés começaram a depositar sedimentos entre 3 antigas ilhas, unindo essas ilhas ao continente, nos agora morro do Mirante, do Forno e Pontal do Atalaia.

Há cerca de 5 mil anos chegaram nômades, que viviam em pequenos grupos no alto dos morros e desciam apenas para buscar alimentos, basicamente peixes e moluscos.

Os tamoios eram, na época da chegada dos portugueses, os habitantes mais comuns da região, embora existissem também tribos de outras vertentes tupinambás.

2. Américo Vespúcio:

Descoberto o Brasil em 1500, se fazia necessário conhecer e explorar as potencialidades econômicas da terra recém descoberta. Em 1501, durante o reinado de D. Manuel I, partiu uma expedição formada por 3 naves, onde Gaspar Lemos retornava depois de comandar um dos navios da frota de Pedro Álvarez Cabral.

Foram descobertos locais como Cabo de São Roque no Rio Grande do Norte, a Baía de Todos os Santos, Cabo de São Tomé, entre outros. Em 1502 chegaram ao Rio de Janeiro, Angra dos Reis e, no atual estado de São Paulo, em São Sebastião, São Vicente e Cananéia.

Américo Vespúcio, um dos integrantes da expedição, após separar da frota desce mais rumo ao Sul, chegando ao local onde hoje é conhecido como “Praia dos Anjos”, e lá ancora e desce à terra firme.

O lugar foi chamado de Cabo Frio, em função de algumas características locais, como correntes marítimas de baixa temperatura, ventos frios e constantes que davam a impressão de baixa temperatura, e repentinas mudanças de tempo, de sol para dia nublado, às vezes com nevoeiros e mar agitado.

Américo decidiu então construir um forte no local (cujas ruínas permanecem no local, acessível por trilha entre a Praia do Forno e a Prainha), onde ele deixou 24 homens com armas e mantimentos, com a missão de fundar um povoamento e colonizar o local. Em seguida, Américo Vespúcio seguiu viagem rumo ao Sul, até o Rio da Prata.

3. 1ª missa e Guerra de Cabo Frio:

Posteriormente foi construída feitoria em local próximo, a primeira feitoria do Brasil. Começou a se desenvolver em Arraial um modesto povoamento, sendo esse um dos primeiros em território brasileiro. Ainda é possível ver na cidade a primeira construção de alvenaria da terra recém-descoberta, a “Casa de Piedra”.

Construída em pequena elevação a esquerda da Praia dos Anjos, a Igreja de Nossa Senhora dos Remédios data de 1506 e foi a primeira igreja de pau a pique onde foi celebrada uma missa no Brasil.

Tantas riquezas trouxeram uma intensa pirataria promovida por franceses, ingleses e holandeses. Antônio Salema, governador do Rio de Janeiro em 1575, reuniu um exército português apoiado por uma tropa de índios catequizados, com o objetivo de acabar com o domínio franco-tamoyo que já durava 20 anos em Cabo Frio.

Os índios Tamoyo foram praticamente dizimados por conta da insurreição. Outros piratas europeus, principalmente ingleses e holandeses, continuaram a piratear o pau-brasil, uma vez que a escassez de colonização no litoral fluminense permitiu que continuasse a ser um alvo fácil e lucrativo dos corsários europeus.

4. Evolução e Atualidade:

Em 1814 foi construído um Telégrafo, num dos pontos mais altos do morro do Pontal do Atalaia. Suas ruínas atraem até hoje inúmeros turistas ao local, de onde avista-se a Ilha do Farol. A ilha chama-se assim porque em 1833 D. Pedro II mandou construir um farol. Em 1861 foi inaugurado o Farol Novo, com torre de 16 mts., que seria modificado apenas em 1925.

Junto com o sabor de Liberdade do fim da escravatura em 1888, veio um grave colapso econômico, sofrido por toda a região e só recuperado totalmente no século XX, com o desenvolvimento da extração salineira, do turismo e da indústria química.

Vieram as estradas de ferro e rodovias, e por elas, novas culturas, os primeiros visitantes, o progresso. A inauguração da Ponte Rio-Niterói em 1973, deu início à fase atual de turismo de massa.

Emancipando-se de Cabo Frio em maio de 1985, Arraial do Cabo dá mais uma acelerada, com o turismo como indústria viável e sólida.

5. Caribe brasileiro:

As praias de Arraial do Cabo são propícias ao banho de mar, a pesca e a prática de esportes náuticos. O clima é quente e úmido, com temperatura média de 25° no verão e entre 17 e 23° no inverno.

Dunas de areia branca, vegetação de restinga, lagoas e praias de mar cristalino, além de costões que funcionam como mirantes para apreciar tudo isso.

Arraial do Cabo abria uma diversificada vida marinha: são tartarugas, meros, lulas, lagostas, arraias e até golfinhos que vivem em harmonia nas ilhas do Farol e dos Porcos, nos sacos de Cherne e do Cordeiro, na praia do Forno, na Ponta D’Água e na Gruta Azul.

Praias que visitamos em nosso passeio:

Arraial do Cabo é um paraíso do Atlântico cercado por praias que encantam moradores e turistas que visitam o lugar.

O município é conhecido como a “capital do mergulho”, pois as praias de águas transparentes e areia muito branca tornam sua costa num dos locais brasileiros mais propícios para a pesca submarina e mergulho.

A abundante fauna marinha é decorrente da ressurgência, um fenômeno oceanográfico que consiste na subida de águas profundas e ricas em nutrientes, para regiões menos profundas do oceano.

1. Praia dos Anjos:

É o ponto de partida dos barcos de passeio e de pesca, com um ar bucólico formado pelo conjunto de barcos e pescadores retornando do mar com peixes para o mercado.

Foi na areia deste praia que Américo Vespúcio aportou em 1503 para dar início à colonização da região. Ali foi erguida a Igreja Nossa Senhora dos Remédios, onde aconteceu a primeira missa fechada do Brasil. A igreja permanece no local até hoje e divide espaço com os turistas que seguem para os passeios de barco, para a trilha do Forno e para os bares e restaurantes locais.

Podem aparecer tartarugas enquanto esperamos o momento do embarque, que chegam tão próximas ao cais em busca dos peixes que sobram.

2. Prainhas do Pontal da Atalaia:

Dependendo da maré alta ou baixa, podem ser duas, separadas por rochas.

Com acesso por mar ou por uma trilha que sai do morro do Atalaia, descendo uma escadaria longa mas belíssima.

A Prainha do Atalaia é um lugar único, com água sempre muito cristalina, tipo a Praia do Farol. No canto esquerdo é possível praticar snorkeling e descobrir uma prainha oculta dentro da Gruta do Amor.

3. Praia da Ilha do Farol:

Eleita em 2000 a praia mais perfeita do Brasil pela revista Veja.

Com acesso somente pelo mar, é uma área protegida pela Marinha e eles controlam o acesso.

A localização privilegiada, a areia branquinha, a árvore centenária, os recifes de corais e as centenas de cardumes justificam os prêmios ganhos por diversos anos como “praia mais bonita do mundo”, figurando sempre no Top10.

Como é uma reserva, o tempo de permanência na ilha também é controlado, portanto aproveite bem o seu.

4. Gruta Azul:

A gruta tem 15 mts. de profundidade, é um pouco pobre de vida marinha, mas o efeito de luzes é impressionante, que provoca um fenômeno azulado, daí o nome.

Faz parte do passeio de escuna que leva à Praia do Farol, e a formação rochosa é uma das muitas belezas naturais no percurso.

5. Fenda de Nossa Senhora:

No percurso também é possível ver a fenda na rocha onde está a imagem de Nossa Senhora, e reza a lenda que o buraco teria sido formado pela queda de um meteorito…

Para os casais, bom lugar para um beijo, se quiser com selfie!

6. Pedra do Gorila:

Outro rochedo com forma interessante é o Perfil do Gorila, também chamado Pedra do Macaco, outra excelente foto durante o passeio de escuna.

Visite Arraial do Cabo em nosso passeio!