Dicas de turismo em Angra dos Reis

Localizada na região conhecida como Costa Verde, a 155 quilômetros da cidade do Rio de Janeiro, em meio a lendas e contos, com ilhas que encantam os visitantes, há ótimas dicas de turismo em Angra dos Reis.

1. Chegada dos portugueses e corsários:

Os primeiros a desfrutar de toda a beleza do lugar foram os índios tamoios

Após o descobrimento do Brasil em 1500, a coroa portuguesa enviou ao Brasil uma esquadra composta por três navios, para mapear e desbravar o litoral. O navegador Gaspar de Lemos, que comandava a esquadra vinda de Portugal, ficou extasiado naquele dia que, por coincidência, era dia de Reis, 6 de janeiro de 1502.

O português Américo Vespúcio, que fazia parte da tripulação, escreveu emocionado a Portugal relatando as paisagens mágicas e quase surreais que presenciava ali.

2. A natureza exuberante de Angra dos Reis

Em meio a Mata Atlântica, oito baías, 365 ilhas e mais de 2.000 praias praticamente selvagens. A natureza exuberante era motivo pelos quais navios piratas eram vistos pelo litoral que, além de se deleitarem com tanta beleza, abasteciam seus navios de água, lenha e provisões. Sua localização geográfica, propícia ao corso, atraiu piratas de várias nacionalidades, algum tempo depois. A primeira colonização foi feita no continente, em 1530, por uma expedição a mando da Coroa de Portugal.

Américo Vespúcio, escreveu a Portugal: “Algumas vezes me extasiei com os odores das árvores e das flores e com os sabores dessas frutas e raízes, tanto que pensava comigo estar perto do Paraíso Terrestre. E o que direi da quantidade de pássaros, das cores das suas plumagens e cantos, quantos são e de quanta beleza? Não quero me estender nisto, pois duvido que me dêem crédito.”

Somente em 1556 chegaram os colonizadores, vindos dos Açores, que criaram um povoado ao se fixarem na enseada no local conhecido como Vila Velha, em frente a ilha da Gipóia. Foram os filhos do capitão-mor da Capitania de São Vicente que fizeram o local prosperar e, em 1608 foi nomeada de Vila dos Reis Magos da Ilha Grande.

Eis uma excelente dicas de turismo em Angra dos Reis!

3. Religião e urbanismo:

Angra teve forte influência da Igreja Católica. Com o assassinato do pároco, em 1617, iniciou-se a construção da Nova Igreja Matriz terminada em 1750. Este fato é muito bem retratado pela quantidade de conventos, igrejas, monumentos e ermidas, inclusive nas ilhas, como a Ermida do Senhor do Bonfim, a Igreja de Santana e a Igrejinha da Piedade.

Há ruas projetadas em curvas, seguindo o sentido dos ventos que sopravam por lá!

4. Cana de Açúcar, Ouro e Café:

A primeira atividade econômica de Angra foi a cultura da cana-de-açúcar, além de servir de parada no trajeto entre Santos e Rio de Janeiro. Depois, exportando e importando os produtos de Minas Gerais e São Paulo, chegou a ser um dos maiores portos do Brasil.

O início da construção do “Caminho Novo”, estrada que fazia a ligação por terra do interior de São Paulo e Minas Gerais ao atual estado do Rio, deu-se em 1728, evitando o percurso marítimo antigo, via o entreposto de Paraty, na época muito vulnerável à pirataria. Essa via possuía ligação direta com Angra dos Reis e as cidades de Lídice e Rio Claro, o que impulsionou o desenvolvimento e enriquecimento da região.

Na época do império, Angra conheceu um grande apogeu, durante o ciclo do café.

5. A construção de grandes obras

Em 1835, a antiga povoação de N. S. da Conceição, agora Angra dos Reis, foi elevada à categoria de cidade. A Santa Casa de Misericórdia (atual Hospital Municipal) foi construída em 1836 para atender aos casos de tifo, malária e febre amarela; o Paço Municipal (atual Prefeitura), em 1871 e o primeiro jornal semanal, em 1860. São também desta época, os grandes sobrados da cidade e a antiga cadeia, hoje Câmara Municipal.

Na segunda metade do séc. XIX, três fatores desorganizam a economia local: a construção da estrada de ferro que ligou o Rio de Janeiro a São Paulo através do Vale do Paraíba, a decadência do café no mesmo vale e por fim a abolição da escravidão. Em conjunto, esses fatores desarticularam as bases onde se assentava a sobrevivência da economia local.

No fim do século, porém, abriu-se à estrada de ferro São Paulo-Rio, terminando com as vantagens que Angra oferecia às comunicações entre as duas cidades.

6. Banana, porto e estaleiro:

Ainda neste século, houve uma retomada no crescimento econômico com a cultura da banana, a reativação do porto e a construção da ferrovia que ligava Angra à estrada ferroviária principal: com o fim da República Velha e a Ascensão da “Era Vargas“, teremos a construção de um ramal ferroviário, ligando Angra dos Reis à Estrada de Ferro D. Pedro II, na região do Vale do Paraíba, que iria posteriormente sediar a construção da Companhia Siderúrgica Nacional. Isso ocorreu em 1931 e, já em 1932, o porto da cidade inicia suas operações.

Com a política desenvolvimentista de Juscelino Kubitschek, a década de cinqüenta assistirá à construção (com capital holandês) do Estaleiro Verolme, no atual distrito de Jacuecanga. A indústria naval seria privilegiada pela posição geográfica de nosso litoral.

A ditadura militar das décadas de 60 e 70 trará a implantação do Programa Nuclear Brasileiro escolherá Angra dos Reis como local para a instalação das Usinas de Angra I e II (1972 / 1985), que utilizam a água do mar para resfriamento do reator.

Usinas Nucleares de Angra I e I

7. Terminal Petrolífero e Rodovia Rio-Santos

Em 1977 é inaugurado o Terminal Petrolífero da Baía da Ilha Grande (TEBIG), para receber navios de grande porte. Possuindo dez grandes tanques para o armazenamento de petróleo, estes estão ligados à refinaria de Duque de Caxias no Rio de Janeiro e de Gabriel Passos em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Ainda na mesma época, é iniciada em 1972 a abertura da Rodovia Rio-Santos, BR 101, que possibilitou a instalação de empreendimentos turísticos e imobiliários.

Com a valorização, iniciou-se o processo de ocupação dos melhores terrenos ao longo do litoral.

8. Dicas de turismo em Angra dos Reis:

size_800_o-que-fazer-em-angra-dos-reis-no-rio-de-janeiro-bbf79d4c

Com a inauguração da Estrada Rio-Santos, a cidade foi descoberta pelos turistas!

A história de Angra continua sendo contada ao redor de suas águas, através dos proeiros das traineiras de pesca, das mansões à beira-mar, das escunas, lanchas…

Dos naufrágios que aqui repousam, do silêncio dos mergulhadores, do barulho das águas, dos barcos, navios e veleiros.

9. Praias que visitamos em nosso passeio:

Quer dicas de turismo em Angra dos Reis?

Ela tem 365 ilhas, exatas uma para cada dia do ano, e o único jeito de chegar nelas é por mar!

Em nosso passeio vocês conhecerão:

9.1. Ilha de Cataguases:

Quer uma experiência ainda mais tranquila, vivenciando um cenário paradisíaco? Escolha visitar a ilha Cataguás (ou Cataguases) durante a baixa temporada ou nos dias da semana. Na alta temporada, as primeiras horas da manhã é o momento perfeito para encontrar a praia mais vazia. Mas, mesmo movimentada, o maior atrativo da Ilha de Cataguases é, sem dúvidas, o mar calmo que cerca a ilha. Com suas águas tranquilas e cristalinas, pode ser uma boa opção caso você esteja fazendo essa viagem com crianças menores. Certamente elas também vão gostar!

Cataguases também é muito procurada por banhistas que buscam um local tranquilo para praticar mergulho, seja de snorkel ou mergulho de cilindro. Os tons verdes e azulados, merecem uma boa apreciação e são ideais para observar algumas espécies de peixes e animais marinhos.

Eis mais uma das excelentes dicas de turismo em Angra dos Reis!

9.2. Lagoa Azul – Ilha Grande:

A Lagoa Azul é uma piscina natural com fundo arenoso, algumas rochas e água predominantemente azul, localizada entre duas ilhotas na importante região histórica de Freguesia de Santana. O local é um agregado geográfico da Ilha dos Macacos, cuja extremidade norte, é o ponto da Ilha Grande que está mais próximo do continente. A região é belíssima com recantos dignos de chamarmos de paraíso. Está bem próxima de outras praias sensacionais, Grumixama, Baleia, Freguesia Sul e norte.

Lagoa Azul, apelido turístico inspirado no clássico do cinema dos anos 80 com a atriz Brooke Shields, é um ponto turístico dos mais badalados da Ilha Grande.

As embarcações ficam ancoradas e os visitantes podem descer para nadar, flutuar com “macarrões” (flutuadores de espuma) fornecidos pelas tripulações, praticar snorkel ou alimentar os peixinhos “sargentinhos” (nome científico abdufdef) com miolo de pão, já viciados de serem alimentados pelos visitantes.

9.3. Praia de Araçá – Ilha Grande:

Praia simples e tranquila, é cercada por grandes pedras e mata nativa preservada. É pequena e aconchegante, ótima para os que procuram um bom lugar para descansar. Com uma boa faixa de areia dourada, possui águas tranquilas e transparentes. Costuma receber poucos turistas durante a alta temporada, sendo mais frequentada por moradores próximos, principalmente alguns pescadores que moram no lugar.

Por ser uma praia pequena, os turistas que passam de barco quase não percebem o lugar. É uma ótima opção para relaxar e tomar um delicioso banho de mar. O local não conta com infraestrutura, sendo indicado que o turista leve alimentos e bebidas para que não aconteçam imprevistos.

9.4. Ilha de Japariz:

Praia de boa extensão e belezas naturais, costuma receber um grande número de turistas durante a alta temporada. Com uma espaçosa faixa de areia clara, possui mar tranquilo de águas transparentes.

É um lugar muito propício para a pesca, e é onde os pescadores que moram na praia retiram seu sustento. É habitada por uma pequena comunidade de pescadores e comerciantes que mantém uma intensa comunicação com o continente, tanto para Angra dos Reis, como para Conceição de Jacareí.

Com uma grande área verde, o lugar também conta com boa infraestrutura e com restaurantes dos próprios pescadores que servem pratos de frutos do mar frescos.

Esse é um dos principais motivos que atraem turistas durante o verão, a grande variedade de peixes e frutos do mar feitos na hora. Além disso, visitantes aproveitam para tomar um delicioso banho de mar, além de descansar à sombra de alguma árvore. É uma boa dica de turismo em Angra dos Reis, opção para os que gostam de uma bela praia com a comodidade de boa infraestrutura próxima.

Com essas ótimas dicas de turismo em Angra dos Reis, saiba mais!