A história de Armação de Búzios, ou somente Búzios como foi apelidada, está recheada de muito conhecimento. Enriquecida por diversos povos e culturas, indígenas, quilombolas, portugueses, franceses e até argentinos. Sendo parte importante da história do Estado do Rio de Janeiro e do Brasil.

1. Os Corsários e Tupinambás:

A região de Armação de Búzios e Cabo Frio era habitada pelos índios Tupinambás, vulgarmente chamados de “Tamoios“, até o início do século 17.

Os povos indígenas habitavam grande parte da costa brasileira, da margem direita do rio São Francisco até o recôncavo Baiano e do cabo de São Tomé atual Rio de Janeiro até São Sebastião, atual São Paulo.

O pesquisador Teodoro Sampaio afirma que o termo Tupinambá é oriundo do tupi tubüb-abá, que significa descendente dos primeiros pais. Já o termo Tamoio vem de ta ‘möi, que significa avós, indicando que eles eram o grupo Tupi mais antigo instalado no litoral brasileiro. Acredita-se que no total somavam cerca de 70000 indivíduos.

1.1 A Primeira expedição naval portuguesa no Brasil:

Entre 1501 e 1502 ocorria a primeira expedição naval portuguesa de reconhecimento no litoral Brasileiro. O sertão de Cabo Frio, localidade onde hoje fica Búzios e arredores foi nomeada de “Bahia fremosa” (Bahia formosa). Américo Vespúcio aporta em Búzios e comanda a primeira expedição ao litoral brasileiro conhecida como “Entradas”, desembarcando na Praia das Caravelas onde permaneceram por 3 anos ancorados, usando a praia como porto nas incursões.

Com dificuldades fundaram postos avançados, proteção que precisavam para explorar as terras e formar cidades. Chamadas “Armações” os acampamentos ou postos avançados, erguidos com a função de capturar índios para o trabalho escravo, de armazenar pau-brasil e de consertar e reformar embarcações.

Em 1532 chega a primeira expedição de caráter colonizador com Martim Afonso de Souza. Nos anos de ocupação notaram-se que na região ocorriam muitos moluscos gastrópodes cujas carapaças vazias eram chamadas de “atapu” pelos índios, e batizadas de “búzios” pelos portugueses. Conta-se então que devido a este fato o local começou a ser chamado de Ponta dos Búzios. Alguns documentos históricos ainda mostram outro nome “S. Anna da Armação”, mas sem datação histórica correlatada.

1.2 A ocupação da Baía de Guanabara:

Na metade deste mesmo século a Baia de Guanabara foi ocupada por uns 20 anos por uma legião de Franceses, com a intenção de ocupar a área e criar uma colônia chamada de França Antártica. Os franceses foram derrotados definitivamente em 1567, quando então, em termos práticos ocorreu a fundação da Cidade do Rio de Janeiro, após batalha contra os franceses vencida por Mém de Sá, então Governador Geral do Brasil e Estácio de Sá seu sobrinho e capitão incumbido da fundação da Cidade.

Embora derrotados, os corsários franceses continuaram a visitar a área de Cabo Frio, Arraial do Cabo e Búzios, quando negociavam com os índios Tupinambás, levando Pau-Brasil para a Europa.

Por volta de 1618, os Franceses foram novamente derrotados pelos Portugueses com a ajuda dos índios Goytacazes, e definitivamente expulsos da área. Como resultado desta guerra, os Tupinambás que eram aliados dos Franceses, ou morreram ou fugiram da área. E segundo muitas fontes, a maioria deles foram praticamente exterminados.

2. Armação Baleeira – a origem do nome:

Nos séculos 17 e 18, e até metade do século 19, a pesca da baleia era importante para a economia e engenharia da época. E até a metade do século 19, havia ainda muitas baleias tanto na Baía de Guanabara como nos litorais próximos. O óleo de baleia tinha inúmeras finalidades, e se misturado ao cal produzia uma argamassa muito forte, usada na construção de fortes, igrejas e construções de pedra e tijolo. E o que isto tem à ver com Búzios?

Bem, o nome oficial da cidade é Armação dos Búzios, nome este em decorrência de uma armação de madeira que existia em uma praia, usada como instalação para a indústria da pesca e extração da carne e óleo de baleia. Ou seja, “Armação” era o nome dado à construção beira mar para onde as baleias fisgadas pelos arpões eram levadas. Ou seja, era um estabelecimento com infra-estrutura apropriada para a pesca da baleia, nas costas brasileiras.

Segundo relatos, em cada “armação” da época se extraía 33 metros cúbicos de óleo de cada baleia cachalote que chegasse à aquele tipo de indústria.

Armação Baleeira

Armação Baleeira

Não é por motivo fútil que em Búzios existe a Praia da Armação e também a Praia dos Ossos, local onde respectivamente se instalava a indústria de extração da carne e óleo de baleia, e a outra praia, onde eram jogados ou enterrados os ossos das baleias.

Findo o auge da indústria da pesca da baleia, que deixaram de aparecer nestas águas, inclusive na Baía de Guanabara após o surgimento dos navios à vapor e à consequente maior pesca e exploração por parte de navios do hemisfério norte, os habitantes de Búzios passaram a viver da pesca.

3. A Descoberta:

Até a metade do século 20, no local conhecido como Búzios, existia poucas casas, a maioria delas ao longo da orla da Praia do Canto, da atual Orla Bardot e Praia da Armação, e a maioria delas casas de pescadores.

Igreja de Sant´Anna

Igreja de Sant´Anna

Em frente à Praia da Armação, hoje ainda são vistas, talvez umas 2 ou 3 casas construídas no século 18 ou talvez século 19, e perto uma igreja do século 18, a Igreja de Sant’Ana erguida em 1740, em torno do povoado da então existente armação baleeira.

O local era uma pacata vila de pescadores em local paradisíaco, que chamava atenção pelas suas belezas naturais e foi descoberto pela elite carioca nos anos de 1940. Nesta época as mansões de milionários e socialites situavam-se em Cabo Frio, onde mantinham decks privados ou ancoradouros em suas propriedades para guardar seus barcos. E certamente, seja por carro através de vias precárias, ou mais provavelmente por barcos, visitavam o local à passeio.

Entretanto, em fotos de 1964, podemos notar que existiam casas bem construídas, mas não suntuosas, que também eram usadas por moradores ou pessoas de fora para veraneio. Mas no local não havia nenhuma infra-estrutura turística, e era apenas um vilarejo.

Finalmente se tornou famosa pela descoberta das belezas naturais no século 20, culminando com a visita de Brigitte Bardot, quando então ganhou fama internacional tornando-se um dos mais famosos balneários do mundo.

4. A visita de Brigitte Bardot em 1964:

Armação de Búzios - Estátua de Brigitte Bardot

Estátua da atriz Brigitte Bardot

Em 1964, a atriz Brigitte Bardot, então no auge de sua fama e carreira, veio ao Brasil, especialmente ao Rio de Janeiro, em visita, na companhia de um namorado de dupla cidadania, brasileira e marroquina.

Os dias da atriz no Rio de Janeiro estavam sendo muito desconfortáveis para ela, pois não encontrava sossego, sendo muito perseguida por fotógrafos em qualquer lugar onde ela fosse.

Cansada ela havia desistido de sair e ir à praia, e segundo relatos, ao tomar banho de sol no terração de uma apartamento de cobertura no Leme, bairro vizinho de Copacabana, esta teve sua paz novamente perturbada por um helicóptero com um fotógrafo à bordo.

Com a falta de privacidade e impossibilitada de descansar, seu namorado e amigos tiveram a idéia de se refugiar em um local afastado onde não existiria o assédio dos fotógrafos, e este local foi Búzios. Lá, Brigitte Bardot encontrou paz e a bela natureza ao redor, podendo passear e caminhar pelo local, então uma pequena aldeia onde ninguém a importunava.

Os dias de Brigitte Bardot em Búzios foram agradáveis e de pleno sossego, naquele local que era então apenas uma vila de pescadores, com poucas casas, em local paradisíaco. Foi desde então que Búzios ganhos fama nacional e internacional.

5. O início do point turístico:

Até 1970, Armação de Búzios não contava com água encanada. As mulheres mais simples, moradoras do local, precisavam ir até um local chamado poço das bombas, levando bacias, roupas sujas e sabão para lavá-las, e muitas vezes acabavam ficando o dia todo no local (levavam também seus filhos).

A vila foi crescendo e no início dos anos de 1970, chegaram alguns Argentinos refugiados de seu pais por motivos políticos. A notícia acerca do belo local correu na Argentina, e muitos outros vieram, parentes ou não, e muitos lá ficaram também, estabelecendo comércio e atividades no local.

A fama de local paradisíaco continuava a crescer e se propagar, com muitas celebridades e milionários visitando o local nos anos de 1970. Armação de Búzios havia se tornado um local da moda.

5.1 A Emancipação de Armação de Búzios:

Em 1995, se tornou um município autônomo, emancipando-se de Cabo Frio. Apesar de ter, segundo dizem uma população fixa de apenas e aproximadamente 30 mil habitantes, a cidade recebe por ano mais de um milhão e meio de turistas.

A cidade é também marcada por um estilo de arquitetura e construção que caracteriza Armação de Búzios, lembrando e fazendo referência ao estilo de casas colonias e pelo uso de materiais de demolição na construção, aproveitando madeiramento, telhas coloniais antigas e outros elementos, dando as construções e arquitetura da cidade uma aparência diferenciada e típica do local.

Seguindo este ideal estético e culturalmente preservacionista, a legislação urbana da cidade também proíbe a construção de edifícios altos, e no local pode-se ver predominantemente casas de no máximo 2 andares ou tendo no máximo um terceiro andar como mirante ou mezanino.

Em 2012 Búzios foi eleita o “Melhor Destino de Sol e Praia do Mundo”, pela Euroal 2012, ficando à frente de Cancún no México e Ibiza na Espanha. A Euroal é a organizadora de um Salão e evento internacional de turismo, arte e cultura.

Praia da Armação

Praias de Armação de Búzios que visitamos:

Destino mais cobiçado da Região dos Lagos, com belezas naturais dignas de cartão-postal a antiga Vila de pescadores possui um Balneário com cerca de vinte praias e abriga bares e restaurantes sofisticados e um comércio repleto de lojas de grifes na descontraída “Rua das pedras”,Tour de escuna pelas praias e almoço incluídos.

1. Praia Azeda e Azedinha:

As praias da Azeda e Azedinha são duas belíssimas praias na cidade de Armação dos Búzios, no estado do Rio de Janeiro. Elas são pequenas, lindas e muito aconchegantes, sendo uma ótima opção para passar o dia. Elas estão entre as praias mais bonitas do Brasil e tornaram-se Área de Proteção Ambiental. As praias recebem este nome por possuir águas da cor verde limão.

Praia Azeda: A Praia é pequena, charmosa e com mar calmo e colorido. A Praia da Azeda está entre as mais procuradas pelos turistas.

Praia Azedinha: A Praia da Azeda é vizinha à Azedinha. Elas são divididas apenas por uma faixa de pedra, sendo que na Azedinha não há nenhuma construção para esconder o visual da mata.

2. Praia de João Fernandes:

As águas calmas e transparentes convidam turistas que buscam um pouco mais de tranquilidade e privacidade, com boa sombra e bem protegida dos ventos nordeste e leste.

A praia de João Fernandes conta com uma ótima infraestrutura de restaurantes e bares por toda sua orla e arredores e por isso é também uma das mais visitadas de Armação de Búzios. Está localizada no extremo norte da península em uma área contornada por belas pousadas, hotéis e condomínios de luxo construídos em um imenso paredão de rochas que dão um charme único a essa parte do litoral.

3. Praia da Tartaruga:

Formada por duas porções de areia separadas por um belo caminho de pedras, a Praia da Tartaruga alia beleza à boa infraestrutura. A praia consegue manter o ar rústico, com quiosques feitos de madeira (depois que alguns de alvenaria foram demolidos) e cardápios típicos de frutos do mar. O lugar é excelente para quem está em família, tudo em um belo mar colorido e muito calmo. Tem águas calmas e, geralmente, as mais quentes da região, uma vez que não recebe as correntes frias da Antártica. Aproveite para mergulhar de máscara e snorkel nos costões no canto direito.

A Praia da Tartaruga se difere das outras localizadas no Centro de Armação de Búzios por não ter casas ou hotéis obstruindo a paisagem para a natureza. Os quiosques, nos moldes de antigamente, se integram ao cenário e dão à praia uma característica única na região. A praia tem 1 km de faixa de areia. As crianças se divertem caminhando pelas pedras e vendo os peixes. O lugar é bastante seguro, por isso mesmo ótimo para uma aventura com os pequenos.

4. Praia dos Ossos: (só passagem)

Repleta de barquinhos de pesca, orla arborizada e charmosas casas de pescadores reformadas, a praia tem visual de cartão-postal. No lado esquerdo, no alto, fica a igreja de Sant’Ana, com bonita vista; e o Iate Clube de Armação de Búzios. Do outro lado sai o caminho que leva à praia Azeda.

Recebe esse nome porque infelizmente no passado aqui eram deixados os cadáveres de baleias, após retirar óleo e banha.

5. Ilha Feia: (só passagem)

É um ponto de interesse geológico e recebeu esse nome por ter sido descoberta pelo seu lado de trás, onde não há mais que um grande paredão de pedra e onde não há vegetação. Mas também há quem diga que foi atingida por um raio, que danificou toda a ilha.

6. Rua das Pedras:

Principal ponto turístico de Armação de Búzios depois das praias, a Rua das Pedras atrai uma multidão de turistas. O local é repleto de boas lojas, restaurantes, bares, cafés, agências de turismo e hotéis. É ponto quase obrigatório entre os visitantes.

Rua das Pedras

Rua das Pedras, em Armação de Búzios

A rua engloba vários quarteirões ao redor, que seguem o mesmo clima elegante e charmoso. O conjunto desses quarteirões funciona como uma grande área de entretenimento. Um verdadeiro shopping a céu aberto, com gente bonita, boa música e muitas opções para diversão.

 

 

Seguindo à margem da Praia da Armação, a Rua das Pedras é ponto de partida dos barcos e escunas que realizam passeios pelas praias de Armação de Búzios. A rua é ligada à Orla Bardot, com a qual forma um dos mais deliciosos passeios da cidade.

Visite Armação de Búzios – Passeios Rio de Janeiro