Palmeiras plantadas na década de 1960 no Rio

O Rio de Janeiro é uma das cidades mais belas do mundo, mas a cidade maravilhosa acaba de ficar ainda mais resplandecente graças a um espetáculo da natureza. Palmeiras plantadas na década de 1960 pelo icônico paisagista brasileiro Roberto Burle Marx estão dando flores pela primeira vez. As minúsculas flores em tons de amarelo estão surgindo no Aterro do Flamengo, na zona sul, e no Sítio Roberto Burle Marx, na Barra de Guaratiba, zona oeste da cidade.

1. A Palmeira

A Palmeira Talipot (Corypha umbraculifera), pertencente à família Arecacea, é nativa do sul da Índia e do Sri Lanka e costuma dar flor apenas uma vez, geralmente quando tem entre 40 e 70 anos. A florada poderá ser vista até o início de 2020, quando as árvores morrerão.

Com mais de 30 metros de altura e com folhas de até cinco metros de diâmetro, nas últimas semanas o que mais chama atenção dos pedestres são as flores únicas.

Segundo o biólogo e paisagista Marlon da Costa Souza – chefe da divisão técnica do sítio Roberto Burle Marx, as floradas dependem do local do plantio, clima, solo e insolação: “Em seu local de origem, ela costuma florescer aos 70 anos, mas, aqui no Brasil, a floração ocorre mais cedo”.

As mudas foram trazidas ao Brasil e plantadas no Aterro do Flamengo e no sítio pelo próprio Burle Marx.

Palmeiras plantadas no Parque do Flamengo

Palmeiras plantadas no Parque do Flamengo

Quando todos os frutos finalmente tiverem caído no chão – o que deve acontecer até maio de 2020 – a palmeira irá definhar até a morte. Os frutos, no entanto, tendem todos a gerar novas palmeiras, renovando, assim, o ciclo da natureza.

 

Texto: Gabriela Glette